Wadih Damous diz que Alte Othon Silva foi condenado por contrariar interesses Norte-americanos


Em discurso no Plenário, O Deputado Federal Wadih Damous diz que Alte Othon Silva é um Herói brasileiro e foi condenado a prisão perpétua, não por corrupção, como o acusam, mas sim por contrariar interesses Norte-americanos sobre pesquisa de energia nuclear para fins pacíficos.

Deputado Wadih Damous (PT-RJ) fez um discurso nesta quarta-feira no plenário da Câmara em que afirma que o almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, de 78 anos, condenado por corrupção a 43 anos de prisão, é um “herói nacional”, o “maior cientista brasileiro” e merece a comutação da pena – substituição por uma pena mais branda, que pode ser deliberada pelo presidente da República; segundo Damous, a prisão de Othon, que é grande conhecedor do ciclo de urânio e pensava um projeto revolucionário de energia barata, responde a “interesses estrangeiros, imperialistas, norte-americanos, que não quer a soberania nacional.

Segundo O Globo, veículo conhecido por todos por seu viés golpista e entreguista, o ex-presidente da Eletronuclear Othon Silva foi condenado, no início de agosto do ano passado, a 43 anos de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisão e organização criminosa durante as obras da usina nuclear de Angra 3.

O advogado do ex-presidente da Eletronuclear, Helton Marcio Pinto, declarou que Othon Silva tentou suicídio porque se julga na condição de injustiçado. Othon sempre lutou pelo bem do país — disse o advogado, afirmando que, como tem 77 anos, o vice-almirante entende que a condenação de 43 anos é como uma pena perpétua.

O advogado disse não ter feito nenhuma notificação sobre o incidente no processo porque está focado em provar a inocência de Othon. Como já há uma decisão em primeira instância, do juiz da 7ª Vara Federal Criminal, Marcelo Bretas, com a condenação de Othon, a defesa recorreu e a ação penal está agora no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2).

Nascido em 25 de fevereiro de 1939 em Sumidouro, no interior do Rio, Othon é engenheiro naval formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, com mestrado na área nuclear no Massachusetts Institute of Technology (MIT). De 1982 a 1984, acumulou com suas funções na Marinha do Brasil o cargo de diretor de Pesquisas de Reatores do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), ocasião em que foi construído o Reator IPEN-MB-01 (único reator de pesquisas projetado e construído com equipamentos nacionais). Em 1994, foi para reserva na Marinha do Brasil no posto de Vice-Almirante do Corpo de Engenheiros e Técnicos Navais, o mais alto posto da carreira naval para oficiais engenheiros.

Leia a matéria de O Globo clicando aqui

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s